Buscar
  • Eni Marçal

CONSELHO CONSULTIVO E SUA IMPORTÂNCIA


Das 20,3 milhões de empresas no Brasil, 90% são empresas familiares, que representam 85% da força de trabalho, responsáveis por 40% do PIB Brasileiro, com uma mortalidade de 70% após o terceiro ano da sua constituição e apenas 3% são sobreviventes após 10 anos da sua constituição. Nesta estatística não inclui o segmento dos startups.


Acreditamos na importância de capacitar os (as) sócios (as), os (as) herdeiros, os (as) colaboradores (as) e os (as) sucessores (as). Boas práticas de governança geram bons resultados, inclusive, companhias que se encaixam nesse perfil tem seu valor de mercado percebido e se tornam atrativas aos olhos: dos clientes, das instituições de linhas de crédito e dos investidores. Segundo pesquisa da McKinsey, 83% dos investidores pagariam mais pelas ações de empresas cuja gestão conta com projetos de governança corporativa e as linhas de crédito tem condições de prazo e taxas diferenciadas.


O conselho consultivo dá suporte nas escolhas da organização de forma estratégica, direcionamento as recomendações relacionadas a: Gestão; Ferramentas de governança, Mercado; indicadores ESG, contribuindo para o cumprimento de metas e propósitos iniciais da empresa, favorecendo seu desenvolvimento e, colaborando para uma visão mais ampla e diversa. O que melhora a sensibilidade e apura o olhar dos (as) sócios (as) empreendedores (as).

Implantação de um conselho consultivo eleva a um patamar superior o grau de maturidade, seus principais objetivos são as deliberações estratégicas no curto médio e longo prazo garantindo o cumprimento das boas práticas de governança através das ferramentas (regimento interno, acordo de acionista, protocolo de família, código de ética e de conduta, modelo de decisões, modelo de relatório gerencial e indicadores, planejamento estratégico, orçamento, plano de desenvolvimento do capital humano, cultura organizacional, LGPD, gestão de risco) com resultados sustentáveis e harmonia societária longeva.


A contratação de conselheiros (as) externos (as) contribuem para a adequação do modelo de gestão, e das ferramentas de governança (regimento interno, acordo de acionista, protocolo de família, código de ética e de conduta, modelo de decisões, modelo de relatório gerencial e indicadores financeiros e de performance, planejamento estratégico, orçamento, plano de desenvolvimento do capital humano, cultura organizacional, LGPD, gestão de risco. Respeitando os valores dos fundadores do negócio, observando as boas práticas de mercado, qualificando as decisões com isenção e independência, priorizando o relacionamento harmônico entre sociedade, empresa, família, clientes, parceiros comerciais, colaboradores (stakeholders) e pautas estratégicas como:

  • Ambiente regulatório e políticas públicas;

  • Transformação digital e uso adequado de novas tecnologias (inteligência artificial, machine learning, blockchain etc.);

  • Cultura organizacional, propósito visão, missão, valores, código de conduta da companhia;

  • Planejamento estratégico de longo prazo, melhor alocação de capital que proporcionem melhores margens de contribuição para empresa;

  • Melhores resultados e sustentáveis, metas econômico-financeiras audaciosas e indicadores financeiros, de performance e de ESG;

As atividades dos (as) conselheiros (as) externos (as) não interferem na autoridade dos (as) sócios (a) e empreendedores (as), visto que suas recomendações podem ou não ser seguidas, mas consequentemente, contribuirá para que o negócio tende a se consolidar no mercado e ser valorizado por seu gerenciamento e governança eficiente e eficaz percebida pelos stakeholders.


É percebido a importância do conselho consultivo para se obter um melhor “norte” na tomada de decisões. As empresas se beneficiam na gestão e na governança transformando seus resultados sustentáveis e harmonia entre as partes longeva. Neste contexto, nós queremos estar unidos a você sócio (a) empresário (a), empreendedor (a), na implementação do conselho consultivo da sua empresa e, juntos complementar as suas experiências e, aconselhar com maior profundidade, principalmente na área estratégica do "negócio", na aplicação das melhores práticas de gestão e governança, assim como acompanhar a implementação do plano de ação.


Pense nisso.

Vamos que vamos

Abraço fraterno

Eni Ferreira Marçal

www.linkedin.com/in/enimarcal

enimarcal@gmail.com

Fundadora e Consultora. Conselheira externa de Conselhos Consultivos e de família e; Consultora Associada de Projetos de Gestão Empresarial, Governança Corporativa e, novos negócios.

1 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo